segunda-feira, 13 de março de 2017

Isabela é Nome Próprio ou Cor ?

                     Cor Isabela
A história conta em poucas palavras que a filha de Filipe II, de nome Isabel Clara Eugenia de Áustria (1556-1633), que acompanhou o marido, no cerco a Ostende (maior cidade da costa belga banhada pelo Mar do Norte), prometeu que só tiraria a camisa (interior), quando obtivessem êxito na empreitada direcionada à cidade em questão.
Como o cerco obteve uma resistência de quase três anos, a camisa quando foi retirada estava bastante acastanhada, pelo tempo e sujidade...
E, é justamente da associação do nome dessa princesa com a cor de sua camiseta suja que surgiu o nome dessa cor, isabela (isabel), a qual é aplicada em um primeiro momento em relação aos equinos e aos muares dando origem à expressão “cor de burro quando foge”, cor indefinida, muito difícil de ser distinguida, coloração pardacenta característica da pelagem dos burros.
Isabela é uma variante do nome Isabel, que tem origem no nome hebraico Izebel, que significa “casta, pura”.

Isabela ou Isabella?  A forma com duas letras “l” é utilizada por falantes das línguas inglesa, alemã, italiana, norueguesa, sueca, holandesa e romena.

Atualmente a cor isabela é também aplicada há algumas variedades de cores de raças caninas como o Doberman (Doberman Isabela), Sharpei, Greyhounds, Dachshund, etc. É a cor do Waimaraner! Cor de areia, diluição do marrom (fígado).

                    Gene de Diluição
O gene da diluição ocorre no locus D. É recessivo (d é diluído, e D é não diluído) de modo que um cão para ser diluído deve ter o genótipo dd. Um cão que é Dd ou DD terá pigmento normal (não diluído).
Locus: é o lugar específico em que um gene se localiza no cromossomo.
Portanto, do ponto de vista genético um cão de pelagem isabela pode ser considerado como um marrom (fígado) diluído.

O Terrier Brasileiro (Fox Paulistinha) deve sempre possuir três cores:
Ele deve dar a impressão de que originalmente seria um cão branco, com marcações "tan" (castanho) nas laterais do focinho e sobre os olhos, em quem se jogou tinta.
Se a tinta for preta teremos o tricolor de preto, se a tinta for marrom teremos o tricolor de marrom, se a tinta for de um cinza azulado teremos o tricolor de azul e se a tinta for isabela teremos o Tricolor de Isabela.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Fox Paulistinha ou Terrier Brasileiro?

                 Reconhecimento da Raça
Desde o reconhecimento internacional da raça de forma provisória junto à FCI (1995) o Fox Paulistinha passou a ser chamado oficialmente de Terrier Brasileiro.

Como São Paulo foi o estado que inicialmente mais aglutinava criadores da raça que lutavam pelo reconhecimento da mesma, e seus estudos indicavam até aquele momento tal região como a que mais se encontravam exemplares, o nome inicialmente escolhido para representar a raça foi Fox Paulistinha, tanto que, no ano de 1964 quando foi  elaborado o primeiro padrão oficial o nome escolhido não poderia ser outro.

Em 1973 a CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia) suspendeu a emissão de pedigrees em função da insuficiente quantidade de exemplares para manter a raça.
               
     Canil Pedra de Guaratiba - 27 anos! Terrier Brasileiro (Fox Paulistinha)! Clique na imagem para visitar!
http://www.canilpguaratiba.com

Mas, com o passar dos anos a raça conseguiu propagação a nível nacional, ocorrendo dessa forma um aumento significativo no trabalho de criação, podendo-se observar a existência da raça não só em São Paulo, mas em todo território nacional, passando então a ser chamado de terrier do Brasil, ou seja, Terrier Brasileiro.

A partir desse ponto inicia-se um longo processo de trabalho com o objetivo de se obter o reconhecimento internacional da raça. Sendo assim, em 1995 à FCI (Federação Cinológica Internacional), sediada na Bégica, reconhece a raça de forma provisória. Vindo então o registro em definitivo no ano de e em 2006.

domingo, 29 de novembro de 2015

CADELA DA POLÍCIA FRANCESA É MORTA EM OPERAÇÃO ANTITERROR

A polícia francesa anunciou na quarta-feira (18/11/15) em seu Twitter que um de seus cães foi morto na operação contra terroristas em Saint-Denis, norte de Paris.

"Diesel, fêmea da raça Pastor Belga Malinois de 7 anos, cão de assalto do RAID, foi morto pelos terroristas na operação em curso", anunciou a polícia.
RAID => Polícia Nacional Francesa (Police Nationale) é uma corporação policial civil da França. Está ligada ao Ministério do Interior. Os policiais da Polícia Nacional são servidores do Estado.
"Os cães de assalto e de busca de explosivos são indispensáveis em missões de operação do #RAID", afirma um outro Twitter da polícia.

Depois desse anúncio, a hashtag #jesuisunchien (#eusoucachorro) começou a ser imediatamente usado pelos internautas em homenagem a Diesel.
Dois suspeitos vinculados aos violentos atentados de sexta-feira (13/11/15) em Paris morreram e sete foram detidos, três deles dentro do apartamento no qual estavam entrincheirados no subúrbio Saint-Denis, ao norte da capital francesa, anunciou a polícia.

Entre os dois mortos da operação está uma mulher-bomba - algo sem precedentes na França - que detonou um colete com explosivos, segundo a polícia.

A operação também deixou pelo menos três policiais feridos.

Em entrevista aos jornalistas, o procurador francês Francois Molins não confirmou se o principal alvo da ação, o belga Abdelhamid Abaaoud que seria o mentor dos ataques de Paris, estava no edifício. O ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, disse que a Inteligência francesa tinha informações de que o jihadista estaria em Paris.
Segundo as autoridades, além da mulher-bomba, um segundo terrorista morto foi atingido por uma granada. Entre os detidos, três homens estavam dentro do apartamento, duas outras pessoas foram encontradas “escondidas nos escombros”, além do responsável por alugar a residência e uma amiga que o acompanhava. Antes de ser preso, o locatário afirmou que um amigo pediu que ele abrigasse dois conhecidos por alguns dias.
Fonte AFP (Agence France-Presse - é uma das principais agências de notícia do mundo).

Nota da redação da ANDA (Agência de Notícias dos Direitos dos Animais)
Apesar de estar sendo considerada uma heroína, em outras palavras, Diesel foi usada para morrer no lugar de humanos, pois fora posta ali por eles simplesmente para se expor ao perigo, como acontece com todos os cães explorados em atividades de forças policiais ou militares.

Independente de qualquer coisa, fica aqui registrado nossas homenagens a Diesel!

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

VOCÊ LEVA SEU CÃO PARA PASSEAR?

OU É ELE QUEM O LEVA?
Os passeios são indispensáveis para seu companheiro. E garantir que esses passeios sejam realizados de forma rotineira é fundamental para o BEM-ESTAR do seu cãozinho.
Os passeios, além de queimarem energia, permitem que o cão tenha contato com novas situações, pessoas, animais de sua espécie e de outras espécies, de forragearem (ato de procurar alimentos), etc, aumentando assim às perspectivas de seu universo de vida . As caminhadas na rua são recomendadas inclusive para os cães que vivem em quintais, pois embora vivam em um espaço maior do que aqueles que residem em apartamentos, ainda assim necessitam do contato com as situações acima descritas que somente os passeios são capazes de proporcionar. 
Uma dica interessante que com certeza potencializará o BEM-ESTAR de seu companheiro é procurar alternar os percursos e os locais de passeio, aumentando assim a gama de estímulos e desafios para o cão. 
Dessa forma,  fica claro que, ensinar desde cedo seu pet a andar corretamente  com guia e enforcador é de suma importância.
Porém, é muito comum vermos cães que levam seus donos para passear, tal condição via de regra torna o passeio muitíssimo desagradável, sem dizer que a mesma é totalmente errada do ponto de vista etológico, podendo mais tarde trazer inclusive desvios de comportamento. 
Ensinar seu cão a andar em locais públicos é simples, mas a escolha correta das ferramentas é de suma importância para que a tarefa seja realizada de forma precisa e com total harmonia:
COLEIRA: acessório fixado através de fivela, velcro ou encaixes que fica em volta do pescoço, geralmente de tecido ou de couro.
GUIA: acessório que é engatado em uma de suas extremidades à coleira ou ao enforcador, ficando a outra extremidade justamente entrelaçada a uma das mãos do condutor.
ENFORCADOR: acessório que fica em volta do pescoço com um elo em cada uma de suas duas extremidades, podendo ser em metal ou tecido.
PEITORAL: acessório fixado entre o peito e ante-peito através de fivela, velcro ou encaixes que fica em volta do pescoço, geralmente de tecido ou de couro.

A melhor opção, pelo menos no início do trabalho independente do porte do cão é o enforcador sem sombra de dúvidas. Depois, caso seja da vontade do proprietário até pode se usar uma coleira. 
O enforcador proporciona maior controle e extrema segurança, permitindo inclusive à condução de um cão de porte grande por uma criança com toda segurança. Mas para isso é necessário que o enforcador  tenha sido colocado no local certo e ajustado de forma correta.
Um Enforcador de elos em metal ou de nylon não machuca e não causa nenhum problema ao animal. O qual não indicamos em hipótese alguma é a utilização da carrana (enforcador de grampos/espinhos internos), pois além de machucar o animal não proporciona segurança alguma uma vez que, com o passar do tempo os grampos se soltam durante o passeio. 
Atualmente também podemos contar com Headcollars (coleiras que envolvem ao mesmo tempo o pescoço e o focinho do cão), os quais também proporcionam conforto e segurança ao passeio.
O Peitoral é muito bonito e bastante utilizado principalmente por proprietários de cães de pequeno porte, no entanto existem várias contra indicações para utilização do mesmo. Como por exemplo o emaranhar da pelagem no caso de cães de pelo longo, movimentação inadequada em função do desconforto e em alguns casos até problemas de coluna uma vez que o centro de aplicação de sua força se faz diretamente sobre essa área.
Lembre-se:
# Se você possui um cão em que a legislação indica o uso de Focinheiras não o leve para o passeio sem a utilização de uma.
# Um Cata-Caca e um Bebedouro para Passeios também não podem faltar.
# BEM ESTAR: é um estado de completa saúde física e mental, em que o animal está em harmonia com o ambiente que o rodeia.

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

O CALOR E OS CÃES

A primavera, é a estação do ano que se segue ao Inverno e precede o Verão. É tipicamente associada ao reflorescimento da flora terrestre. No Hemisfério Sul, tem início na data 23 de setembro e termina a 21 de dezembro.
Mas na prática em nosso país atualmente isso não é bem assim!
A Primavera começou no Rio de Janeiro no último dia 23 às 5:20 horas, exatamente como o inverno acabou, ou seja, com um calor de mais de 35°C.

Dessa forma minha gente, devemos ficar muito atentos aos nossos pets no que tange em relação ao calor.
O calor está aí e nossos amigões precisam de alguns cuidados especiais para não sofrerem muito com o mesmo.
Nesse período devemos redobrar nossos cuidados em relação ao manejo de nossos amigões.
Dessa forma devemos protege-los do sol, manter sua água sempre limpa e fresca, além de passear apenas em horários em que o sol estiver mais fraco.
Os cães não transpiram por meio da pele como os humanos, dessa forma  a troca de calor é realizada pela boca e justamente por isso que em dias muito quentes os cães ficam ofegantes, para poderem trocar calor mais rapidamente e conseguirem esfriar seus corpos.
Para os cães, "morrer de calor" não é uma força de expressão, mas algo que realmente pode acontecer principalmente sempre que a temperatura ambiente ultrapassar os 34ºC levando inúmeros pet/s a apresentarem sintomas como por exemplo respiração ofegante, salivação excessiva, letargia, podendo ocorrer vômito e diarreia. Portanto fique atento e caso seu pet apresente esses sintomas o melhor a ser feito é procurar um Médico Veterinário o mais rápido possível.
Sendo assim devemos mante-los sempre em locais frescos e ventilados deixando água fresca à disposição durante todo o dia, se necessário devemos trocar sua água varias vezes ao dia e se a mesma for gelada e filtrada melhor ainda. Nos casos dos que residem em apartamentos o uso de ventilador ou ar condicionado também são muito bem vindos.

Nessa linha de raciocínio os vários modelos de Bebedouros à disposição no mercado pet atualmente, se fazem bastante indicados e devemos procurar o mais adequado a espécie ou raça que criamos (Bebedouro para Torneira de Quintal, Bebedouro para Passeio, Bebedouro Inteligente Pet Society, etc...)
Nessa época do ano alguns animais apresentam queimaduras, pois são mais atingidos pelos raios UVA e UVB, tais queimaduras se apresentam no focinho, nas pontas das orelhas, no abdômen e em outras partes do corpo despigmentadas, claras e com escassez de pelos.
As raças que mais merecem nossa atenção são as raça claras, de pelo curto, os albinos e os que vivem em áreas abertas. Também devemos ficar atentos as feridas que não cicatrizam e nesse caso devemos leva-los ao médico veterinário o mais rápido possível.
Sendo assim fica claro, que é de suma importância também nos animais à utilização de um Protetor Solar, o qual deve ser de uso veterinário, já que os feitos para "gente" podem causar alergias.
Protetor Solar Pet Society: 
Há também nessa época recomendação especial em relação a pulgas e carrapatos, pois as condições ambientais (calor e umidade) se tornam excelentes para a reprodução e eclosão dos ovos desses parasitas, aumentando de forma bastante significativa a presença dos mesmos no ambiente.
Além do mais as Pulgas e os Carrapatos são transmissores de inúmeras doenças que afligem a nós e a nossos amigões. Algumas dessas doenças inclusive são de grande relevância no dia a dia do clínico veterinário atualmente, como por exemplo:
Babesiose e Erlíchiose, DAPP (Dermatite Alérgica por Picada de Pulga), Infestação por Dipylidium Caninum (recomenda-se inclusive a ministração de vermífugo específico de forma concomitante ao tratamento da Pulga), Anemia (principalmente em filhotes, pois cada pulga remove cerca de 0,1 ml de sangue diariamente) e Peste Bubônica.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

CONVIVENDO COM SEU CÃO

BEM ESTAR: é um estado de completa saúde física e mental, em que o animal está em harmonia com o ambiente que o rodeia.
Etologia é a disciplina dentro do contexto da Zoologia, que estuda o comportamento dos animais do ponto de vista dos mesmos. Sendo assim, na visão do cãozinho que trouxemos para nossa casa desde pequeno nós somos a sua matilha. E toda matilha possui, ou pelo menos deve possuir uma organização hierárquica com regras que devem ser seguidas por todos os seus membros. É de fundamental importância e para o bem de todos e principalmente do cão que o lugar de líder (alfa) dessa matilha seja ocupado por nós, caso contrário com toda certeza a harmonia da casa estará comprometida muito em breve e aquele cãozinho que foi trazido com o objetivo de fornecer muitas alegrias acabará se tornando um estorvo para todos.
Cães que não conhecem limites e que não aprenderam quais atitudes esperamos deles acabam se tornando carentes, inseguros, infelizes e inúmeras vezes agressivos.
Dessa forma entender como um cão vê o mundo e a agir sobre este ponto de vista tentando "falar" com ele na mesma linguagem desde o dia de sua chegada é sem sombra de dúvidas de fundamental importância.
Pois o problema reside justamente quando não nos preocupamos ou quando não conseguimos nos estabelecer hierarquicamente frente ao cão como alfa da matilha e o cão acaba ocupando tal lugar.
Cabe então ao líder (um de nós) mostrar ao cão, desde sempre e de forma bem clara tudo aquilo que ele não pode fazer e tudo aquilo que desejamos que ele faça, colocando-o na posição hierárquica que lhe é devida e o tornando nosso seguidor.
Dessa forma, um cão "rebelde", na verdade está apenas querendo que sejamos um líder de fato, ditando as regras de convivência, educando-o, protegendo-o, etc. É muito importante porém, que tenhamos em mente que tais condições devem sempre ser estabelecidas com muito amor e carinho, mas ao mesmo tempo com firmeza incondicional.

domingo, 5 de julho de 2015

BANHO A SECO IDEAL NO INVERNO!

O banho a seco é uma excelente opção para higienização de seu pet no inverno, mas sua utilização pode se dar também em outras épocas do ano, uma vez que existem várias outras ocasiões onde a opção por essa modalidade nos´trará muitos benefícios.
INDICAÇÕES:
Filhotes => 
Não é indicado efetuar banho tradicional (água, shampoo ou sabonete) em filhotes, uma vez que corremos o risco de desfazer a camada de gordura que envolve o corpo do animalzinho, a qual age como proteção para entrada de microrganismos patogênicos via pele. É claro que tal procedimento isoladamente não irá por si só fazer com que o filhote venha a contrair alguma doença, mas com certeza o excesso de banho tradicional nessa idade o deixará mais suscetível.
Via de regra somente após aos seis meses de idade recomendamos os banhos tradicionais de forma mais regular (semanais no verão e de 15 em 15 dias no inverno). Dessa forma, o banho a seco se faz uma excelente opção até que os filhotes atinjam a idade recomendada para banhos tradicionais, uma vez que o mesmo não irá destruir a camada de gordura da pele.
Recomendamos então até que o filhote atinja os seis meses de idade: 01 banho mensal de forma tradicional, e à utilização do banho a seco até duas vezes por semana.
Economia de Água => Como atualmente estamos atravessando uma crise no abastecimento de água o banho a seco vem dar sua contribuição nesse sentido uma vez em sua utilização não se faz necessário o uso de água, como já diz seu próprio nome "Banho a Seco".
No Inverno => Como já mencionado acima o banho a seco é uma excelente opção para o inverno uma vez que não existirá à necessidade de molhar nossos amigões.
Nos idosos => Assim como os filhotes, o sistema imunológico dos cães idosos é mais deficiente, em função disso devemos tomar os mesmos cuidados em relação ao excesso de banhos e utilizarmos nessa fase, o banho a seco um maior número de vezes.
Estressados => Existem cães que ficam muito estressados na hora do banho tradicional, sendo assim, estes casos se tornam mais uma excelente opção para utilização do banho a seco.
Pós Cirurgia => O banho a seco também é indicado para os animais em recuperação de alguma cirurgia e que não podem tomar banho com água de forma tradicional.
MODO DE USAR:
Como as opções do mercado são inúmeras ler sempre o rótulo do produto adquirido o qual trará as instruções necessárias para sua utilização. O Banho a Seco pode ser facilmente encontrado em qualquer pet shop, existindo de várias marcas, de diversos fabricantes, como por exemplo: Amici (Loção Higienizante), Collie, Pet Life, Mundo Animal, etc.
Em geral o procedimento que devemos seguir é aplicar o produto em uma toalha até que a mesma fique umedecida e depois espalhar no sentido contrário da pelagem, aguardar por alguns minutos e depois retirar produto através de uma toalha seca.
Realizar o procedimento em local ventilado, permanecendo sempre ao lado do animal até a retirada do produto com a toalha seca.
Tomar sempre bastante cuidado durante o procedimento com os olhos, boca e órgãos genitais.
O banho a seco não substitui o banho tradicional, mas, sem sombra de dúvida, contribui e muito para a higienização e manutenção da pelagem do seu pet.

É recomendado também tanto para filhotes quanto para adultos à escovação diária, objetivando a remoção dos pelos mortos e uma melhor socialização do ponto de vista comportamental.
Grooming: vem do inglês “groom”, que significa “cuidar da aparência". Em passado recente esse termo era conhecido somente dentro do ambiente cinófilo, como sendo todo aquele procedimento de higienização e embelezamento dos cães voltados especificamente para as participações nas exposições de conformação e beleza. 
Atualmente porém o termo e o procedimento em si tomaram um sentido mais amplo, passando a serem conhecidos e utilizado por todos, dentro ou fora do ambiente da cinofilia. Sendo considerado com todo procedimento de higiene e beleza como banho e outros recursos que melhoram a aparência do cão em geral.

Trimming: trimming vem de “trim”, que quer dizer “aparar” ou “cortar”. É todo procedimento utilizado para aparar, cortar, desbastar a pelagem dos cães de forma específica de acordo com a sua raça.