terça-feira, 4 de dezembro de 2012

SE EU POSSO COMER CHOCOLATE POR QUE MEU CÃO NÃO PODE?

Atualizado em: 03/02/17.
Sempre que chegam épocas festivas como Natal, Reveillon, Páscoa, etc. acaba ocorrendo um aumento nos casos de intoxicação em nossos amigões, dessa forma vale a pena conscientizar as pessoas para que evitem o oferecimento de guloseimas em geral para os nossos pets.

Os chocolates em geral possuem em sua composição uma substância chamada Teobromina, a qual é prontamente absorvida após a ingestão oral de chocolates. 
A Teobromina provoca um intenso aumento no trabalho muscular cardíaco associado à uma grande estimulação do cérebro, ocasionando arritmias cardíacas graves em cães.
A quantidade de Teobromina para intoxicar gravemente um cão é em torno de 100 a 200 mg/kg. Porém, há relatos de sintomas de intoxicação, como vômitos e diarréia, com ingestão de apenas 20 mg/kg e também há relatos de sintomas de efeitos cardiotóxicos com ingestão de 40 a 50 mg/kg de chocolate. Há, ainda, relatos de efeitos drásticos com a ingestão não só de chocolate em barra, mas também de chocolate em pó dissolvido em leite e oferecido à cães.
Geralmente, os sinais clínicos dessa intoxicação são percebidos entre 6 a 12 horas após a ingestão do chocolate. Os sintomas iniciais são: aumento da ingestão de água, vômito, diarréia, dilatação abdominal e inquietação. O quadro pode evoluir para hiperatividade, aumento do volume urinário, ataxia, tremores e estado de apreensão. E, mais fatidicamente, aumento da frequência dos batimentos cardíacos (taquicardia), aumento dos movimentos respiratórios (taquipnéia), azulamento das mucosas (cianose – falta de oxigenação nos tecidos), hipertensão, aumento da temperatura corpórea e o quadro pode, enfim, evoluir para hipotensão, queda da temperatura corpórea, coma e morte.
O tratamento é difícil, objetivando a estabilização das funções vitais do organismo de acordo com a sintomatologia apresentada.

Ainda há o fato de que, como o chocolate possui grande quantidade de gordura, o pâncreas também sofre importantes danos.
Sendo assim cabe a nós evitarmos terminantemente a ingestão de chocolate por nossos cãezinhos.
Atualmente já se encontra no mercado chocolates específicos para cães, dessa forma se realmente você deseja fornecer ao seu pet um pouquinho de chocolate não ofereça do seu, adquira em uma pet shop um chocolate específico para cães.




domingo, 4 de novembro de 2012

REMÉDIOS PARA HUMANOS NÃO DEVEM SER USADOS POR CÂES E GATOS


Ao se deparar com o animal com algum problema de saúde muitos proprietários ao invés de levar o animal ao médico veterinário, preferem medica-lo por conta própria fazendo uso de medicações humanas, podendo causar danos irreversíveis aos seus animais de estimação.

O sistema digestivo dos cães e dos gatos, apesar de semelhante ao humano, não funciona exatamente da mesma forma. Os órgãos do sistema digestivo desses animais não têm a capacidade de absorver e sintetizar alguns medicamentos utilizados por nós, como alguns tipos de anti-inflamatórios e analgésicos.

Dessa forma, muitos medicamentos de uso humano, podem causar aos cães e aos gatos problemas de intoxicação, alergia e até mesmo causar a morte.
Alguns medicamentos de uso humano podem sim ser ministrados em animais e até são receitados por médicos veterinários, mas somente o médico veterinário é o profissional indicado para isso, o proprietário do animal jamais deve tentar medicar seu amigão, ou poderá causar problemas seríssimos ao seu pet.

Os anti-inflamatórios a base de Diclofenaco de Sódio (Cataflan, Voltaren) muito utilizados por nós, se ministrados a cães e gatos pode ocasionar vários problemas gastrintestinais, como úlceras hemorrágicas no estômago e duodeno, levando à vômitos e diarreia com sangue. Também pode ocorrer insuficiência renal, uma grave lesão nos rins podendo a mesma levar à morte.
Muitas vezes o problema inicial o qual motivou o proprietário a dar a medicação acaba ficando em segundo plano, pois as consequências de dar uma medicação errada são bem graves.

O AAS (Ácido Acetil Salicílico), substância ativa também da Aspirina, Doril e Melhoral, é extremamente tóxico para os gatos, devido a deficiência do mesmo em produzir uma determinada enzima hepática que metabolizaria o medicamento e traria como consequência a eliminação do composto.

Já o Paracetamol (Tylenol,Panadol, Panasorbe, Ben-U-Ron, Dafaldan), jamais deve ser ministrado aos gatos, pois via de regra quando isso ocorre é fatal, o organismo dos gatos não consegue eliminar o medicamento. Aos cães o efeito não é tão devastador, mas também poderá causar lesões hepáticas irreversíveis, portanto também é contra-indicado.

Outro caso que ocorre com muita frequência é quando alguns proprietários ao verificarem problemas oculares em seus pets acabam instilando qualquer colírio que tenham em casa objetivando aliviar logo o sofrimento do seu amigo, mas tal ato poderá causar problemas gravíssimos ao animal,como por exemplo instilar um colírio a base de corticosteroide  em casos de ulceração de córnea, pois ao invés de se obter a melhora aumentará o tamanho da úlcera complicando ainda mais o tratamento.
Dessa forma é bom deixar claro que nos caso da ulceração de córnea não se deve utilizar colírios a base de corticosteroide.

Lembre-se, existem medicamentos próprios e aprovados para o uso em animais de companhia, sendo na maior parte deles não utilizados por nós. Esta especificidade deve sempre ser respeitada.
Assim como não devemos nos auto-medicar também não devemos medicar nosso animalzinho de estimação. Dessa forma ao se observar qualquer problema com seu pet procure imediatamente um médico veterinário o qual é o profissional legalmente habilitado para cuidar dos animais.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

ESCOVANDO A PELAGEM


A escovação regular mantém a pele saudável, realiza a remoção dos pelos mortos, estimula o fluxo sanguíneo e gera a formação de óleos naturais do próprio organismo. 
Se o animal for de pelo curto, sugerimos pelo menos duas escovações por semana, sendo ideal uma vez ao dia. 
Entretanto, as  raças de pelagem longa, podem exigir cuidados mais específicos e diários. 

Para os exemplares de pelo curto pode se usar uma Escova Luva, uma Luva de Escovação ou mesmo um Pente de Metal e  independente do tipo de escova utilizado o ideal é promover a escovação sempre no sentido da pelagem.
Para melhores resultados, esteja certo de que você está penteando no sentido para baixo em relação à pele.

No caso das raças de pelagens crespas como o Poodle por exemplo o ideal é utilizar uma Rasqueadeira e promover a escovação sempre no sentido contrário ao da pelagem. O Pente de Metal também pode ser utilizado e por vezes um Desembolador se faz necessário.

Para as pelagens longas e lisas o ideal é a utilização da Escova de Pinos ou o Pente de Metal e a escovação deve ser promovida no sentido do pelo.

Nos cães de pelo duro podemos utilizar a Escova de Pinos ou mesmo o Pente de Metal e a escovação deverá ocorrer no sentido do pelo.

Sem as escovações regulares e dependendo do tipo da pelagem de seu amigo poderá ocorrer a formação de nós. Esses nós dificultarão a oxigenação ideal da pele podendo levar a reações inflamatórias, as quais causarão vermelhidão e dor a seu mascote. 

Em raças como Husky e Collie, as quais possuem "pelagem dupla" (pelagem macia por baixo e uma pelagem externa resistente), devemos utilizar uma Escova de Pinos  ou Pente de Metal.

Independente de qualquer coisa o melhor a se fazer para boa saúde e visual da pele e pelagem de seu amigão é no momento da aquisição do mesmo perguntar ao criador se as mesmas irão requerer algum tipo de Escova ou Pente específicos ou mesmo algum manejo em especial, principalmente se desejar levar o animal para exposições.

Antes de começar a escovação sugerimos para qualquer tipo de pelagem a aplicação do Fluído Disciplinante Pet Society (2 ou 3 vezes por semana), (sobre a pelagem seca ou mesmo previamete umedecida com água por meio de um Pulverizador), espalhando o mesmo levemente com as próprias mãos.
Tal ato diminuirá a eletricidade estática do pelo facilitando o desembaraço, permitindo a abertura dos nós e proporcionando um melhor deslizamento da Rasqueadeira, Pente ou Escova.

Nos casos em que os nós já tiverem sido formados sugerimos também a aplicação do Fluído Disciplinante Pet Society deixando o mesmo agir primeiramente por uns 10 minutos para depois iniciar o procedimento de remoção.
Tal procedimento inicia-se tentando desprender e separar os fios do nó, utilizando um Desembaraçador. Depois escovar (Pente Metal) cuidadosamente cada uma das partes desprendidas, indo devagar para não machucar seu animal. Nos casos mais sérios e com grande número de nós a melhor coisa é promover a tosa completa da pelagem.
Blog 8 - Cadastro de Blogs                             

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

SARNA DEMODÉCICA

A sarna demodécica canina é causada por um Ácaro, o Demodexix Canis, o qual a princípio habita a pele de todos os cães, presente nos folículos pilosos e por vezes nas glândulas sebáceas. Não havendo nenhum risco de transmissão para o homem.
Ácaro: é a designação comum a algumas espécies de artrópodes da subclasse Acarina(=Acari), pertencentes à classe dos aracnídeos, subclasse à qual pertencem mais de 30.000 espécies. 

Até pouco tempo a sarna demodécica era considerada uma "doença hereditária". Atualmente sabe-se que a questão da hereditariedade está ligada a uma deficiência do sistema imunológico, mais especificamente, a produção de um tipo de linfócito (glóbulo branco) conhecido como célula T ou Linfócito T, que tem um importante papel no sistema imunológico. Essa limitação do sistema imunológico poderá levar ao desenvolvimento dos sintomas da sarna demodécica e de outras doenças. 
Alguns experimentos comprovaram que não há transmissão intra-uterina, dessa forma descarta-se a probabilidade da mesma ser considerara congênita.

Os sintomas da Sarna Demodécica geralmente aparecem quando um determinado indivíduo portador da pré-disposição genética (a nível de Linfócitos T) passa por uma ou mais situações bastante específicas como por exemplo uma situação de estresse, esse estresse acaba fragilizando o sistema imunológico do indivíduo. Essa fragilidade acaba alterando de alguma forma a pele do cão e tornando a mesma um ambiente propício para a proliferação do ácaro.
As situações que podem causar a imunosupressão nos indíviduos com pré-disposição podem ocorrer também por erro de manejo (limpeza incorreta do ambiente), em função de algumas doenças (hipotireoidismo, neoplasias, infestação de parasitas), cirurgias, uso prolongado de corticoesteróides, etc.
Dessa forma, como pelo menos até o presente momento não temos como saber previamente se nosso cãozinho pertence ou não ao grupo com deficiência a nível de Linfócitos T, podendo ficar sucetível à uma proliferação desordenada dos Ácaros da Sarna Demodécica em função de uma ou mais situações acima citadas e até mesmo a outras moléstias. Devemos e podemos então tentar evitar algumas situações como por exemplo erro de manejo, executando um manejo correto no ambiente, dando preferência a utilização de um produto a base de Quaternário de Amônio (Herbalvet), nas diluições e periodicidades recomendadas pelos fabricantes. Além disso, devemos evitar ao máximo as situações de estresse, manter nossos amigões livres de parasitas internos e externos etc.

É de suma importância também deixar bem claro que, para que um determinado profissional possa concluir definitivamente sobre a pré-disposição genética (a nível de Linfócitos T), no caso específico da Sarna Demodécica se faz necessário um raspado de pele realizado através de técnica correta, levando o material ao microscópio, constatando a presença de vários ácaros em seus diversos estágios de desenvolvimento por campo de observação (ovo, larva, ninfa e adulto). A presença por exemplo de apenas um ácaro não torna o resultado do exame conclusivo em relação à hereditariedade, uma vez que o ácaro já habita a pele de todos os cães. É também muito importante pesquisar pais sintomáticos sempre que possível. 
Além disso, deve-se considerar também a idade do animal, pois animais jovens podem ser acometidos de uma proliferação de ácaros, serem tratados e nunca mais virem a apresentar sintomas (Sarna Demodécica Juvenil), uma vez que um filhote é um organismos em formação e não tem ainda suas defesas totalmente constituidas, o que não significa, pelo menos nesse momento específico, que aquele indivíduo tenha algum problema a nível de Linfócitos T para que se possa concluir pela pré-disposição genética. 

sábado, 28 de julho de 2012

CARRAPATOS - FOCO NA ERLIQUIOSE


Carrapatos são pequenos artrópodes (invertebrados que possuem um exoesqueleto rígido e vários pares de "patas" articulados) que se fixam ao corpo de vários animais, inclusive do homem podendo causar desde problemas de pele (alergia) até a transmissão de doenças graves como a erliquiose canina entre outras como por exemplo a babesiose canina, a doença de Lyme e febre maculosa (zoonose, ou seja, transmitida dos animais para o homem).

Dentre essas doenças uma em especial vem aumentando o número de casos de forma significativa no últimos anos em todas as regiões do Brasil, a Erliquiose Canina.
A Erliquiose é uma doença infecciosa severa causada por bactérias do gênero Ehrlichia, tendo como principal o tipo Ehrlichia canis.
A transmissão da Erliquiose se dá pela introdução de sangue de um cão contaminado em um cão sadio, onde temos como principal vetor o carrapato marrom do cão (Rhipicephalus sanguineus). Sendo assim, podemos concluir que um animal que contenha infestação de carrapatos tem uma grande possibilidade de vir a adquirir Erliquiose. De qualquer forma não é necessário que um animal possua grande quantidade de carrapatos, basta um carrapato contaminado para que essa enfermidade seja transmitida.

Além disso, a transmição de doenças não é o único transtorno que uma infestação por carrapatos pode causar. A perda de sangue também é uma questão de suma importância. As fêmeas de algumas espécies por exemplo consomem mais de 8 ml cada uma. Em alguns casos, as infestações atingem tal magnitude que os animais acabam falecendo por anemia diretamente causada pela perda de sangue ou mesmo por dimunuição das defesas do organismo tornando os animais mais susceptíveis a outras doenças.

Em inúmeros casos também encontra-se de forma concomitante a babesiose canina (Babesia Canis) uma vez que o carrapato Rhipicephalus sanguineus também é o principal agente responsável por sua transmissão, dificultando mais ainda o tratamento e a reabilitação do animal.

Não nos resta então a menor sombra de dúvida, prevenir as infestações de carrapatos é o melhor caminho para você e para saúde de seu parceiro. 

                     Pulgoff Banho à Seco para Cães e Gatos


sábado, 16 de junho de 2012

1ª NOITE DO FILHOTE


Um filhote afastado do convívio com sua mãe e seus irmãos sente-se só e com saudades, sendo assim, o cãozinho na maioria das vezes não aceitará logo seu novo lar ouve-se choros e até soluços, pense que, um bebê tirado de sua mãe e levado a um ambiente estranho também choraria, especialmente à noite, quando sentiria mais ainda a falta do calor e dos cuidados maternos.
O que geralmente temos a fazer é tentar minimizar essa situação dando-lhe bastante carinho, oferecendo-o uma boa refeição, o colocando para dormir em um lugar quente, macio e protegido dos ventos e chuvas.
Não leve jamais o filhote para seu quarto ou para sua cama, a não ser que deseje esse compartilhamento no futuro, depois será muito mais difícil fazer o filhote acostumar, tenha um pouco de paciência que em curto espaço de tempo ele acostuma e deixa de chorar.
Via de regra o filhote leva entre 4 e 5 dias no máximo para acostumar como sua nova família e residência.


         Clique nos links abaixo para visualização dos produtos:
                                  Camas - Almofadas
                 Alimentadores - Comedouros - Bebedouros
               Shampoos - Condicionadores - Máscaras - etc



terça-feira, 8 de maio de 2012

EXPOSIÇÃO CANINA PARTE 2

Após terem sido escolhidos os melhores de cada raça presente à exposição, os juízes passam para o julgamento dos grupos, ou seja, os melhores de cada raça em cada um dos 10 grupos concorrem entre si e são destacados os quatro melhores de cada grupo.
Grupo 1 – Cães pastores e boiadeiros.
Grupo 2 – cães do tipo Pinscher e Schnauzer. Molossos e Boiadeiros Suíços.
Grupo 3 – Terriers.
Grupo 4 – Dachshund.
Grupo 5 – Cães do tipo Spitz e Primitivo.
Grupo 6 – Cães do tipo Sabujo e Rastreadores.
Grupo 7 – Cães de Aponte.
Grupo 8 – Cães Levantadores, Retrievers e de Água.
Grupo 9 – Cães de Companhia.
Grupo 10 – Galgos e Raças Assemelhadas.
Grupo 11 – Cães de Raça não reconhecida pela FCI.
É entre os melhores de cada grupo, que é escolhido o MELHOR DA EXPOSIÇÃO ou seja o BEST IN SHOW.



 TESOURA RETA, TESOURA CURVA, TESOURA DENTADA, TESOURA COM PONTAS REDONDAS [clique aqui!]


TÍTULOS PROMOCIONAIS DE BELEZA
Campeão Inicial: fará jus o exemplar que obtiver dois CCI/s devidamente homologados, concedidos por dois árbitros diferentes.
Campeão Filhote: fará jus o exemplar que obtiver três CCF/s devidamente homologados, concedidos por três árbitros diferentes.
Campeão Jovem: fará jus o exemplar que obtiver quatro CCJ/s devidamente homologados, concedidos por quatro árbitros diferentes.
Campeão: fará jus o exemplar do sexo masculino que obtiver sete CAC/s devidamente homologados, concedidos por árbitros diferentes. E o exemplar do sexo feminino que obtiver cinco CAC/s devidamente homologados, concedidos por árbitros diferentes.
Grande Campeão: fará jus o exemplar do sexo masculino que obtiver o total de 70 pontos de CGC devidamente homologados, concedidos por cinco árbitros diferentes. E o exemplar do sexo feminino que obtiver 50 pontos de CGC devidamente homologados, concedidos por cinco árbitros diferentes.
O CGC (Certificado de aptidão a Grande Campeonato) é um certificado concedido por sexo e raça ou variedade, somente na classe Campeonato, a critério do árbitro, com os seguintes valores, desde que obtenham a classificação excelente:
uma classificação de 5 pontos
uma classificação de 4 pontos
uma classificação de 3 pontos
uma classificação de 2 pontos
uma classificação de 1 ponto.
Campeão Panamericano: fará jus o exemplar do sexo masculino que obtiver cinco CACPABs devidamente homologados, concedidos por árbitros diferentes sendo pelo menos um deles não brasileiro. E o exemplar do sexo feminino que obtiver quatro CACPABs devidamente homologados, concedidos por árbitros diferentes, sendo pelo menos um deles não brasileiro.
Grande Campeão Panamericano: fará jus o exemplar do sexo masculino que obtiver dez CACPABs devidamente homologados, concedidos por árbitros diferentes sendo necessariamente 03 (três) deles não brasileiros. E o exemplar do sexo feminino que obtiver oito CACPABs devidamente homologados, concedidos por árbitros diferentes, sendo necessariamente 03 (três) deles não brasileiros.
Campeão Internacional: fará jus o exemplar com mais de 15 meses de idade que obtiver quatro CACIBs, concedidos por quatro árbitros de países diferentes. Os CACIBs são concedidos somente nas Exposições Internacionais a critério do árbitro, ao melhor macho e a melhor fêmea de cada raça, que obtiverem classificação "Excelente".
Jovem Vencedor Nacional: fará jus o exemplar que conquistar três classificações de Melhor Jovem da Exposição em três exposições formais julgadas por árbitros diferentes e em três diferentes estados da federação.
Grande Vencedor Nacional: fará jus o exemplar que tenha conquistado quatro classificações de "Melhor da Exposição" em quatro exposições formais, julgadas por 4 árbitros diferentes e em quatro diferentes estados da federação.
Campeão Mundial: fará jus o exemplar que obtiver, em exposição mundial, a classificação de Melhor Fêmea ou de Melhor Macho da raça. A exposição mundial ocorre uma única vez ao ano em país previamente definido.
Best in Show: fará jus o exemplar que conquistar a 1ª colocação (Melhor da Exposição) entre todos os cães de todas as raças participantes de uma exposição formal.

 MOCHILA CANGURU PARA O TRANSPORTE DE CÃES [clique aqui!]



Dicas para Preparar e apresentar seu Cão:
# Inicialmente você deve estudar o Padrão Oficial da Raça objetivando conhecer os pontos altos e pontos baixos de seu cão.
# Algumas atividade na preparação de um cão para exposição devem ser diárias, ou seja, todos os dias você deve destinar um tempo para seu amigão. Caminhadas diárias em vários tipos de solo e brincadeiras interativas com brinquedinhos são excelentes para promover o tonus muscular e preparo físico, além de ajudar para se ter uma boa apresentação. O condicionamento para apresentação também deve ser feito no dia-a-d5a (passo, trote, stay/posição parada, mordedura, testículos, mesa dependendo da raça e manuseio por pessoas estranhas). Cães de pelagem devem ser escovados pelo menos uma vez por dia, além de cuidados específicos e particulares de cada raça como por exemplo a colocação de papelotes. Já os cães de pelagem curta, se escovados uma vez ao dia está ótimo.
# A alimentação diária também é de suma importância, você deve fornecer uma ração super premium específica para cada caso, como por exemplo Raça de Filhoes para cães até 18 meses.
# Trimming: vem de “trim”, que quer dizer “aparar” ou “cortar”, sendo assim, em se tratando de exposição cinófila, trimming é tudo aquilo que se corta e/ou que se raspa com equipamento apropriado.
# Grooming: vem do inglês “groom”, que significa “cuidar da aparência”. Dessa forma em se tratanto de exposição cinófila o Grooming é tudo aquilo que irá ajudar ao exemplar a melhorar sua aparência, sendo assim dentro desse quesito temos o próprio Trimming, além do banho e utilização de produtos em geral. Como tanto o Trimming quanto o Grooming são formados por procedimentos específicos e particulares de cada cão, além de requerer técnicas apuradas, aconselhamos a procura de um profissional para realização dos mesmos.
# A apresentação do cão em pista no dia da exposição é o ponto alto de todo árduo trabalho realizado previamente e quando termina com vitória é uma sensação indescritível.

PULGOFF banho a seco indicado também para eliminação de pulgas e carrapatos [clque aqui!]



Siglas geralmente colocadas em anúncios específicos da conofilia brasileira:
ChJ. = Campeão Jovem.
Ch. = Campeão.
Gr. Ch. = Grande Campeão.
Ch. Pan. = Campeão Panamericano.
Gr. Ch. Pan. = Grande Campeão Panamericano.
BIS = Best in Show (Melhor da Exposição).
BISS = Best in Specialist Show (Melhor de Exposição Especializada).
Gr. Venc. Nac. = Grande Vencedor Nacional.



Clique na imagem acima para visitar!

sexta-feira, 6 de abril de 2012

EXPOSIÇÃO CANINA PARTE 1


A Cinofilia (movimento de melhoramento genético das raças caninas) brasileira não surgiu dos privilégios da nobreza ou do patrocínio da alta sociedade nem foi tão inacessível para as classes populares, conforme aconteceu com os grandes clubes da Europa do final do século XIX. As primeiras iniciativas para a sua formação em nosso país, partiram de um grupo de pessoas determinadas, lideradas por um médico veterinário e diretor de uma casa de proteção aos animais – Dr. Raul Peixoto.
Orientado pelo precário noticiário europeu da época, o Dr. Raul Peixoto pensou seriamente na formação de um clube, que tratasse da criação de cães de raça com pedigree.
E assim, segundo consta em sua ata de constituição o Brasil Kennel Club, máter da cinofilia nacional, foi fundado com o auxílio da Liga Internacional de Assistência aos Animais, as 21 horas do dia 10 de Novembro de 1922, no 1º andar do sobrado nº 71, da Rua da Assembléia, na cidade do Rio de Janeiro, onde funcionava uma escola de datilografia.


 Spray finalizador de brilho Magic Cystal


Atualmente o sistema conófilo brasileiro é confederativo, ou seja, existe uma instituição Máter que é a CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia), a qual congrega as federações estaduais e os Kennel Clubes que são mais ou menos noventa associações em capitais e diversos municípios no Brasil.
À CBKC gere as regras e normas para criação, registros genealógicos (emissão de pedigrees), autoriza a realização de exposições, etc. Além disso, é filiada a FCI (Fédération Cynologique Internationale) que é sediada na Bélgica e que rege a cinofilia a nível mundial exceto USA.


 Máscara de Alisamento Pet Society


O principal objetivo das exposições caninas é promover a "boa criação" e valorizar os cães que estejam o mais próximo possível do Padrão Oficial da Raça. Cada uma das inúmeras raças caninas reconhecidas possuem um Padrão Oficial formulado por criadores experientes do país de origem da mesma.
E para cumprir esse objetvo, os clubes cinófilos promovem exposições de conformação e beleza, nas quais os cães participam de uma espécie de "desfile",  onde são julgados por árbitros treinados e aprovados pela CBKC para este fim e que vão analisar: aparência geral, movimentação, mordedura, presença e conformação dos testículos em se tratando de machos, temperamento, expressão e inúmeros outros itens.
Normalmente em um só evento são realizadas várias exposições. Assim, ao participar de apenas um evento os cães são julgados por vários árbitros, sendo que cada árbitro caracteriza uma exposição autônoma. As quais podem ser especializadas (para uma só raça) ou gerais (todas as raças e que via de regra são divididas em Nacionais, Panamericanas, Internacionais).
Nacionais: outorga certificados de aptidão a títulos nacionais.
Panamericanas: outorga certificados de aptidão a títulos nacionais e CACPAB (certificados de aptidão a campeão panamericano de beleza).
Internacionais: outorga certificados de aptidão a títulos nacionais e CACIB (certificados de aptidão a campeão internacioal de beleza).
Para participar dessas exposições não é preciso ter um canil nem ser filiado ao clube que está organizando a exposição. Os pré-requisitos para inscrever o seu cão é que ele tenha pedigree e idade acima de 4 meses. Também não é preciso ensinar muitas coisas ao cão. Ele precisa, basicamente, caminhar junto e do lado esquerdo do condutor. O próprietário do exemplar pode apresentar seu próprio cão, mas caso o mesmo não se sinta seguro para isso é possível contratar um Handler (profissional especializado em treinar, condicionar e apresentar cães em exposições).


Pó Depilatório para os Ouvidos Pet Society


Nas exposições gerais os cães são julgados primeiramente quanto à raça, depois quanto ao grupo e posteriormente escolhe-se o melhor cão da exposição.
Assim, numa primeira etapa todos os cães de uma raça são divididos quanto à idade e quanto ao sexo. Ao todo são consideradas as seguintes classes:
Classe Inicial - cães de quatro meses e um dia a seis meses de idade. Competem ao título de Campeão Inicial (concorrem ao CCI - Certificado de Aptidão a Campeão Inicial).
Classe Filhote – cães de seis meses e um dia a nove meses de idade. Competem ao título de Campeão Filhote (concorrem ao CCF - Certificado de Aptidão a Campeão Filhote).
Classe Jovem – cães de nove meses e um dia a quinze meses. Competem ao título de Campeão Jovem (concorrem ao CCJ - Certificado de Aptidão a Campeão Jovem).
Classe Aberta – destinada a cães com mais de quinze meses, exceto para Campeões Brasileiros de Beleza e Grande Campeão, que na data da exposição tenham mais de quinze meses de idade. Nesta classe podem ser inscritos Campeões de Beleza de outros países e Campeões Internacionais que queiram disputar CAC (Certificado de Aptidão a Campeão). Concorrem a CACPAB (Certificado de Aptidão a Campeão Panamericano de Beleza) e a CACIB (Certificado de Aptidão a Campeão Internacional de Beleza).
Classe Campeonato - cães que já têm o título de campeão. Competem ao título de Grande Campeão (concorrem ao CGC - Certificado de Aptidão a Grande Campeão).
Classe Grande Campeonato - cães que já têm o título de grande campeão.
De cada classe são escolhidas as melhores fêmeas que concorrem entre si para a escolha da melhor fêmea da raça. O mesmo procedimento vai escolher o melhor macho da raça. Os dois escolhidos concorrem entre si para a escolha de Melhor da raça.


                                              continua na próxima edição ...







domingo, 11 de março de 2012

A VACINAÇÃO DOS FILHOTES


A vacina é de extrema importância para a vida futura de seu animal, visa à proteção do seu amigo contra as mais variadas doenças infecto-contagiosas. Para ser bem sucedida, à vacinação deve ser seriada, isto é, deve existir um planejamento de vacinação que comporte várias doses de vacinas, em especial no que se refere aos filhotes. Isto se deve ao fato de que todos os animais não respondem ao mesmo tempo à vacinação. Um esquema de doses múltiplas serviria para, então, proteger tanto os mais precoces quanto os mais tardios.
Além disso, o animal a ser vacinado deve gozar de excelente saúde, ser livre de parasitas e permanecer em "quarentena" até o fim do planejamento vacinal traçado, isto é, não deve sair à rua ou entrar em contato com outros animais que possam transmitir doenças. Seu animal somente estará protegido contra as diferentes doenças infecto-contagiosas e então poder sair as ruas para passear entre 15 e 30 dias depois de terminado todo o esquema de vacinação. 
O reforço anual de todas as vacinas é necessário e imprescindível para a boa saúde do seu parceiro. 
Será? Vários estudos atualmente estão concluindo que não é bem assim! Mas isso é assunto para outro informativo!

IMPORTANTE => verifique se a caderneta de vacinação de seu amigão está em dia e em caso negativo procure um Médico Veterinário o mais rápido possível.


                                             

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

MANEJO DOS ANIMAIS NO VERÃO II


O verão está aí e nossos amigões precisam de alguns cuidados especiais para não sofrerem muito com o calor.
O verão é a estação do ano em que devemos redobrar nossos cuidados em relação ao manejo de nossos amigões.
Dessa forma devemos protege-los do sol, manter sua água sempre limpa e fresca, além de passear apenas em horários em que o sol estiver mais fraco.
Os cães não transpiram por meio da pele como os humanos, dessa forma  a troca de calor é realizada pela boca e justamente por isso que em dias muito quentes os cães ficam ofegantes, para poderem trocar calor mais rapidamente e conseguirem esfriar seus corpos.
Para os cães, "morrer de calor" não é uma força de expressão, mas algo que realmente pode acontecer principalmente sempre que a temperatura ambiente ultrapassar os 34ºC levando inúmeros pet/s a apresentarem sintomas como por exemplo respiração ofegante, salivação excessiva, letargia, podendo ocorrer vômito e diaréia. Portanto fique atento e caso seu pet apresente esses sintomas o melhor a ser feito é procurar um Médico Veterinário o mais rápido possível.


Sendo assim devemos mante-los sempre em locais frescos e ventilados deixando água fresca à disposição durante todo o dia, se necessário devemos trocar sua água varias vezes ao dia e se a mesma for gelada e filtrada melhor ainda. Nos casos dos que residem em apartamentos o uso de ventilador ou ar condicionado também são muito bem vindos.
Nessa linha de raciocínio os vários modelos de Bebedouros à disposição no mercado pet atualmente, se fazem bastante indicados e devemos procurar o mais adequado a espécie ou raça que criamos.
Bebedouro para Torneira de Quintal
Alimentador Automático Duplo 8Kg 10L
Bebedouro para Passeio
Bebedouro Inteligente Pet Society
etc... Bebedouros em Geral


Nessa época do ano alguns animais apresentam queimaduras, pois são mais atingidos pelos raios UVA e UVB, tais queimaduras se apresentam no focinho, nas pontas das orelhas, no abdômen e em outras partes do corpo despigmentadas, claras e com escassez de pêlos.
As raças que mais merecem nossa atenção são as raça claras, de pêlo curto, os albinos e os que vivem em áreas abertas. Também devemos ficar atentos as feridas que não cicatrizam e nesse caso devemos leva-los ao médico veterinário o mais rápido possível.
Sendo assim fica claro, que é de suma importância também nos animais à utilização de um Protetor Solar, o qual deve ser de uso veterinário, já que os feitos para "gente" podem causar alergias.
Protetor Solar Pet Society


A recomendação para uma maior antenção em relação a pulgas e carrapatos nessa época do ano também se faz necessário, pois no verão as condições ambientais (calor e umidade) se tornam excelentes para a reprodução e eclosão dos ovos desses parasitas, aumentando de forma bastante significativa a presença dos mesmos no ambiente.
Além do mais as Pulgas e os Carrapatos são trasmisores de inúmeras doenças que afligem a nós e a nossos amigões. Algumas dessas doenças inclusive são grande relevância no dia a dia clínico atualmente, como por exemplo:
Babesiose e Erlíchiose, DAPP (Dermatite Alérgica por Picada de Pulga), Infestação por Dipylidium Caninum (recomenda-se inclusive a ministração de vermígugo específico de forma concomitante ao tratamento da Pulga), Anemia (principalmente em filhotes, pois cada pulga remove cerca de 0,1ml de sangue diariamente) e Peste Bubônica.
Frontline Spray



quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

HIDRATAÇÃO PET SOCIETY


A hidratação serve para repor a umidade natural da pele e pelagem.

Benefícios - Reconstrução, textirização, queratinização e nutrição da pele e pelagem, promovendo brilho e maciez. Facilita  a escovação e dificulta a formação de nós.

Procedimento - Inicialmente remover a sujeira da pelagem banhando seu amigão com Hydra Shampoo Neutralizador de Odores (diluição 1:4), enxaguando bem.
Depois diluir o Shampoo Neutro (1:4), aplicar sobre a pelagem, massagear bem e exaguar.
Aplicar então a Intense Repair System Liss Ease (cães pelo liso ou curto) espalhando-a com as mãos de maneira uniforme e no sentido do crescimento do pelo.
Deixar agir por 10 minutos (podendo ser sob aquecimento com manta térmica ou secador).
Enxaguar bem, retirar o excesso de água na toalha e proceder a secagem completa com secador.